Fundação Zoobotânica (em perigo!)

Acima podemos observar de cima a sede da Fundação Zoobotânica do nosso Estado, o Rio Grande do Sul. A imagem é de altíssima resolução (4K), adquirida através das ferramentas do Google Earth Pro – versão avançada do convencional Google Earth, disponível gratuitamente desde o início do ano.

A riqueza de detalhes da imagem permite que se aprecie a incrustação do edifício em meio ao verde luxuriante do Jardim Botânico. A  fim de localização, faço saber que a avenida na parte esquerda é a terceira perimetral, na altura da Av. Dr. Salvador  França.

Ameaçada de extinção pela cegueira ideológica da nova gestão estadual (PMDB), a Fundação deve resistir. Faço um ardente apelo para, no mínimo, que assinem as seguintes petições públicas:

Mas o que é a Fundação Zoobotânica?

A Fundação é uma instituição pública, um órgão do poder executivo Estadual, criada em 1972, isto é, quarenta anos atrás. Mas muito mais que uma instituição tradicional, a Fundação é detentora de um patrimônio público inestimável: o conhecimento sobre a Vida em nosso pequeno mas maravilhoso Planeta Terra, em especial da região que hoje nós chamamos de Rio Grande do Sul.

Em seus três distintos setores, a saber, Parque Zoológico, Jardim Botânico e Museu de Ciências Naturais, a instituição detém coleções que são verdadeiras jóias (de valor inestimável) tanto de fauna e flora, como também de fósseis se seres vivos que já passaram por este planeta, de milhares a milhões de anos atrás. Em suma, a Fundação deve ser vista como um símbolo da Ciência, das luzes, do esclarecimento daquilo que José Lutzemberger chamava de “sinfonia da evolução orgânica ” – a evolução da Vida.

Além de manter as coleções, que não devem ser abandonadas sob hipótese alguma, o órgão ainda presta os seguintes serviços:

  1.  Pesquisa em biodiversidade – Flora e fauna
  2. Inventários florísticos e faunísticos
  3. Diagnóstico e mapeamento de ecossistemas
  4. Bioindicação e monitoramento ambiental
  5. Análise de sementes florestais
  6. Recuperação de flora em áreas degradadas
  7. Resgate de flora e transplantes de vegetais
  8. Projetos de reposição florestal
  9. Estudos e preservação do patrimônio fóssil
  10. Consultoria em arborização e ajardinamento
  11. Laudos e perícias técnicas
  12. Identificação de material biológico
  13. Microscopia eletrônica de varredura
  14. Produção e comercialização de mudas de árvores nativas, plantas ornamentais e medicinais
  15. Comercialização de peçonha de ofídios
  16. Difusão científica, através da Revista Iheringia, séries Zoologia e Botânica
  17. Cursos e palestras sobra fauna e flora
  18. Visitas orientadas ao Jardim Botânico, Parque Zoológico e Museu de Ciências Naturais
  19. Realização de eventos culturais
  20. Desenvolvimento de campanhas de conscientização ambiental
  21. Lazer e contato com a natureza
  22. Capacitação de recursos humanos (estágios e treinamentos)

 

É evidente que órgãos como a Fundação são imprescindíveis para a gestão ambiental do Estado. A Fundação é um centro de produção de Ciência de BASE, aquela ciência que não pode sob hipótese alguma visar o lucro, visar a geração de receita. Nada a impede que aproveitar alguma ou outra fonte de receita, mas esse aproveitamento jamais será o objetivo estrutural do órgão. A busca pelo conhecimento de base é nobre: é um esforço coletivo que se acumula por gerações de pesquisas visando unicamente elucidar o mistério, dissolver a dúvida, custe o que custar.

A hipótese de extinção da Fundação, levantada pelo Governo Sartori (PMDB), assusta. Na verdade é praticamente um choque de realidade ao perceber a tamanha estupidez que a lideraça de um povo pode assumir. Os impactos de tal medida são IRREVERSÍVEIS.

A História conta que as lideranças autoritárias, comuns em situações de crise, em geral são oportunistas em curto prazo, podendo levar a tragédias a longo prazo. No caso da Fundação, mais uma luz do conhecimento que se apagará e mais uma sombra entre nós. Não podemos, como sociedade, permitir isso.

Recomendo com ardor as seguintes referências, relembrando também de assinarem as duas petições mencionadas acima.


Fontes:

Hipótese de extinção:

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/08/piratini-define-primeiros-dez-projetos-contra-crise-4818747.html

Comentários:

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/563581/Extincao-causara-perdas-irrecuperaveis,-diz-presidente-da-Fundacao-Zoobotanica

http://www.sul21.com.br/jornal/extincao-da-fundacao-zoobotancia-fara-rs-retroceder-a-idade-das-trevas-diz-biologo/

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s